A plataforma de brand journalism da Ovo Comunicação

Contrate-nos

O setor imobiliário no Centro-Oeste e a necessidade de ampliação e diversificação do financiamento

Manter o crescimento do setor imobiliário traz como desafio a necessidade de ampliação e diversificação das fontes de financiamento para obras e vendas

Por Sérgio Carlos dos Santos, sócio da Araújo Fontes

A Região Centro-Oeste e, em especial, o Estado de Goiás, tem se destacado no mercado imobiliário. A excelência operacional das construtoras, incorporadoras e imobiliárias, aliada ao crescimento econômico acima da média do Brasil graças à riqueza gerada por sua agroindústria, impulsionam o mercado imobiliário das cidades dessa região.

Um exemplo disso, conforme dados da CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção, é que enquanto o Brasil teve uma queda de 2,6% em unidades residenciais lançadas no 1º trimestre/2022, em comparação com o 1º trimestre/2021, a Região Centro-Oeste teve um crescimento de 11,4%. Em termos de venda de unidades residenciais, enquanto o crescimento do Brasil foi de 1,4%, o Centro-Oeste cresceu 15,4%.

Outro destaque da região é o público para o qual essas unidades foram lançadas no 1º trimestre/2022. Enquanto, no Brasil, 42% desses lançamentos se destinaram ao Programa Casa Verde e Amarela, na Região Centro-Oeste, apenas 24% foram destinadas ao Programa, denotando o foco dos lançamentos da região nos demais padrões (76%), em especial os imóveis de alto padrão. Goiânia, por exemplo, é o terceiro maior mercado imobiliário do País, atingiu a 14ª posição em PIB das cidades brasileiras, segundo o IBGE, e vem se destacando pela valorização do metro quadrado, além da quantidade e qualidade de seus lançamentos imobiliários.

Dada sua característica de investimento intensivo em capital, manter o crescimento do setor imobiliário traz como desafio a necessidade de ampliação e diversificação das fontes de financiamento para obras e vendas. O apoio de uma assessoria financeira especializada e experiente é especialmente indicada para o setor, pois a grande diversidade de características dos empresários e empresas do setor imobiliário exige a elaboração de estratégias específicas para cada empresa e, às vezes, para cada empreendimento, dentre as alternativas de financiamento disponibilizadas pelo mercado bancário, mercado de capitais, sócios estratégicos e fundos de investimentos dedicados ao setor.

O cenário de crescimento do PIB na região Centro-Oeste, alavancado pelo agronegócio, continuará estimulando o setor imobiliário, mas, o desafio imposto pelo aumento dos preços e dos custos dos materiais e insumos exigirá uma maior sofisticação e profissionalização na estruturação do financiamento do setor. Tudo isso a fim de garantir que ele continue a explorar as oportunidades que o crescimento econômico da região tende a oferecer.