Empreender para vencer

JA Brasil e StartSe mobilizam doações para ensinar empreendedorismo a jovens da rede pública 

O “Ministério da Obviedade” adverte: 
país que negligencia a educação e não fomenta o empreendedorismo está fadado ao subdesenvolvimento. Ou, na menos pior das hipóteses, ao eterno 
papel de coadjuvante. 

Iniciativas que caminhem na direção oposta, portanto, devem ser celebradas. É o caso do JA Startup, criado para ajudar jovens do Brasil a transformarem suas ideias em negócios de impacto.  

Promovido pela JA Brasil, uma das maiores organizações mundiais quando o assunto é o desenvolvimento desse público, em parceria com a StartSe, plataforma de conhecimento com foco na nova economia, o programa é destinado a alunos da rede pública de ensino, não raro carentes desse tipo de iniciativa.  

Eles vão se beneficiar de doações. Se a meta de arrecadar R$100 mil for atingida, cerca de mil estudantes poderão ser capacitados. De forma gratuita, sem que coloquem a mão no bolso. E aqueles que colaborarem, além da boa sensação que arrebata quem faz o bem para a sociedade, terão desconto nos cursos da StartSe. 

Em 2020, por causa da pandemia de covid-19, todas as turmas do curso tiveram aulas 100% online. Impulsionado pelo digital, o programa ganhou escala e atingiu 3 mil pessoas – um recorde. Agora, com doações de pessoas físicas, ideia posta em prática neste ano, o objetivo é chegar à marca de 10 mil alunos formados, até dezembro. 

O cenário é promissor, uma vez que, tradicionalmente, eram utilizados “apenas” recursos financeiros provenientes de empresas parceiras.  

Qualquer valor pode ser doado. Os organizadores ressaltam que, a cada R$100,00, um novo interessado pode ser absorvido pelo programa. Para contribuir, basta acessar o link da plataforma colabora: Doação JA Startup. 

“Com base no valor, o doador terá noção de quantos alunos está ajudando a formar”, diz Renata Tomazeli, head do programa JA Startup. “Estamos criando uma geração de empreendedores que não só vão se desenvolver, mas contribuir para a economia e para o ecossistema de inovação do país.”  

Para o alto e avante  

A nova turma deverá iniciar o curso no segundo semestre deste ano. Poderão participar jovens de todo o Brasil, com idade entre 15 e 29 anos, e que estudam ou tenham se formado na rede pública de ensino de qualquer estado do país.  

No decorrer do programa, os alunos serão apresentados a modernos conceitos de empreendedorismo, além de a ferramentas e habilidades úteis na criação de modelos de negócios disruptivos. Os estudantes terão a oportunidade de tirar do papel uma ideia de negócio, compreendendo o impacto dela dentro de suas comunidades.  

As aulas serão ministradas ao vivo por profissionais da linha de frente da StartSe: Junior Borneli, CEO; Pedro Englert, sócio; e Cristiano Kruel, head de inovação. Como em outras edições, o curso deve ter carga horária de cinco horas semanais e duração de um mês.  

  

Deixe uma resposta