Conheça sete fintechs para ficar de olho em 2021

fintechs para ficar de olho

Com soluções digitais disruptivas, as fintechs são empresas do ramo financeiro que utilizam a tecnologia para reduzir burocracias, garantir transparência e oferecer aos seus clientes soluções ou serviços mais acessíveis.

Essas companhias dispõem de alternativas mais práticas e menos custosas em segmentos variados, como por exemplo, empréstimos, seguros, investimentos ou cartões de crédito e débito.

Desta forma, os produtos podem ser manejados por canais totalmente digitais. Essa praticidade tem proporcionado uma revolução nos últimos tempos na maneira com as pessoas lidam com as duas finanças, uma vez que amplia o acesso a qualquer um que tenha um smartphone.

Reunimos uma lista com sete fintechs com atuação consolidada em seus segmentos e que devem continuar a se destacar no mercado nos próximos anos. Veja mais abaixo:

1 – Avenue Securities

A Avenue nasceu a partir da crença de que a internacionalização dos investimentos é o passo seguinte ao movimento de “desbancarização” vivido nos últimos anos no Brasil. A companhia possui uma plataforma que permite aos investidores brasileiros acessarem o mercado americano de maneira rápida e sem burocracias.

Os usuários podem comprar desde ações de grandes companhias (como Apple, Amazon e Google) até títulos de renda fixa dos EUA. Atualmente, a empresa conta com mais 240 mil clientes e mais de US$ 700 milhões sob custódia.

2 – Hashdex

A Hashdex foi criada em 2018, com a missão de ser a ponte entre o mercado financeiro e o universo de criptomoedas. A companhia ajuda o investidor a se expor aos ativos digitais de forma simples, segura e regulada. Entre as diversas ações da empresa, destaca-se a criação do primeiro ETF de criptoativos do mundo, em parceria com a bolsa americana Nasdaq.

A Hashdex cinco fundos de investimentos com diferentes níveis de exposição ao mercado de cripto. Os produtos são democráticos, já que atendem todos os tipos de investidores e estão disponíveis nas maiores plataformas do país.

3 – Open Co

A Open Co foi fundada no início deste ano, a partir da fusão entre as fintechs Geru e Rebel. Combinando as experiências das duas marcas, já reconhecidas no mercado, a companhia possui uma visão completa do risco de crédito de cada cliente, possibilitando melhores índices de aprovação e juros menores.

Até o início deste ano, a fintech já originou mais de R$ 1,5 bilhão em empréstimos e a previsão é de originar mais R$ 1 bilhão em 2021

4 – Olivia AI

A Olivia AI, Inc. é uma empresa de dados que aplica aprendizado de máquina e inteligência artificial para desenvolver serviços financeiros inteligentes.

A primeira solução criada pela empresa foi a assistente financeira Olivia. Ela aprende os hábitos de consumo do usuário e recomenda formas personalizadas de como gastar melhor e economizar mais. Isso tudo de forma gratuita, sem venda de dados, e com segurança em nível bancário.

Recentemente, a empresa anunciou sua segunda solução ao mercado: o Bob (Brazil Open Banking), uma plataforma gratuita B2B de open banking. O Bob pode ser usado por qualquer empresa para a qual seja importante conhecer a jornada financeira de seus clientes —de outras fintechs a varejistas.

5 – Neon

Fundada em 2016, a Neon possui a missão de unir tecnologia e design para dar aos usuários uma experiência financeira simples e acessível. A companhia oferece uma conta digital completa, com todos os serviços de um banco tradicional, e sem tarifas escondidas.

Nos últimos anos, a Neon fez aquisições importantes para ampliar o escopo de sua oferta de serviços. Em setembro de 2019, anunciou a aquisição da startup MEI Fácil, plataforma que oferece serviços financeiros, educação e ajuda com burocracia para os microempreendedores. Em julho de 2020, adquiriu ainda a Magliano, mais antiga corretora de valores do Brasil, para replicar nos investimentos a experiência digital que trouxe para os produtos bancários.

6 – Frente Corretora

Fundada em 2017, a Frente Corretora tem como propósito democratizar o mercado de câmbio no mundo através de soluções digitais e uma rede eficiente de correspondentes cambiais, unindo o melhor dos dois mundos: uma equipe experiente e o espírito inovador das fintechs.

A empresa possui a plataforma Simple, que permite o pagamento de remessas internacionais em até 12 vezes no cartão de crédito. A iniciativa ajuda a dar fôlego financeiro para quem precisa fazer uma transferência de valor integral ao exterior.

A plataforma ainda permite o pagamento de alguns serviços prestados fora do país. Os clientes da corretora podem fazer transações de até US$ 10 mil diretamente para a conta do prestador. São permitidas transferências de pessoa física do Brasil para pessoa física ou jurídica do exterior, em dólar, dólar canadense, dólar australiano, euro e libra.

7 – Vitreo

Fundada em outubro de 2018 com a missão de mudar a relação dos brasileiros com os investimentos e acabar com o conflito de interesses que há nesta indústria no Brasil, a Vitreo nasceu como uma gestora que oferecia venda direta e isenta dos seus próprios produtos ao cliente, sem intermediários.

Em maio de 2020, a casa lançou sua DTVM ampliando ainda mais a oferta de opções ao investidor. Hoje, a Vitreo tem mais de R$ 9 bilhões alocados em mais de 55 fundos e carteiras administradas

Deixe uma resposta