A plataforma de brand journalism da Ovo Comunicação

Contrate-nos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Parfin firma parceria com Anjuna para adicionar mais uma camada de segurança para custódia de ativos digitais

A solução permite o uso rápido, escalável e econômico dos AWS Nitro Enclaves para proteger os ativos de custódia de MPC contra riscos, roubo e uso indevido

A Parfin, fintech que conecta investidores institucionais ao mercado de criptoativos, anunciou nesta terça-feira (3) que firmou parceria com a companhia Anjuna Security. A novidade permitirá que a plataforma MPC (sigla em inglês para Computação Multipartidária Segura) de Custódia da Parfin utilize a proteção de hardware da Anjuna — sem que haja alteração nos aplicativos ou processos. Assim, a camada adicional de segurança de hardware bloqueia a nuvem que fornece aos funcionários, terceiros ou componentes de software comprometidos com acesso a chaves criptográficas de MPC, ativos digitais ou aplicativos de custódia proprietários.

No mercado de custódia de ativos digitais, confiança, proteção contra riscos e os mais altos níveis de segurança são essenciais – incluindo a segurança de chaves privadas, endereços de depósito e credenciais, mesmo além do MPC tradicional. A Parfin já contava com níveis muito altos de segurança por meio do uso de tecnologias blockchain e MPC de ponta, criptografia, módulos de segurança de hardware e certificação e conformidade SOC2.

Entretanto, a fintech queria utilizar o AWS Nitro Enclaves para eliminar o potencial de exposição de ativos durante o tempo de execução quando, por necessidade, não é criptografado na memória. Além disso, a Parfin buscava aproveitar a agilidade, alto desempenho, escala e economia da nuvem pública.

“A Anjuna forneceu um nível de segurança adicional para nosso sistema Parfin MPC Custody. Agora, podemos garantir que os compartilhamentos de chaves distribuídas de nossos clientes sejam protegidos por uma camada adicional de enclaves seguros, o que não era possível sem a Anjuna”, comenta Alex Buelau, diretor de tecnologia e cofundador da Parfin.

Mesmo com ampla distribuição de chaves criptográficas MPC ou blockchain, o único ponto de exposição restante é quando chaves, códigos ou dados são processados. Tecnologias sofisticadas podem direcionar vários pontos para orquestrar, por exemplo, roubos de alto valor. Eliminar essa lacuna tem sido o objetivo de tecnologias complexas, caras e complicadas – como multisig e HSMs. A Anjuna permite bloquear dados, aplicativos e ativos digitais durante o tempo de execução.

“Com tanto em jogo, é fundamental que as finanças digitais sigam além das tecnologias MPC para fechar a potencial exposição aberta que existe atualmente durante o tempo de execução nos servidores”, enfatiza Ayal Yogev, cofundador e CEO da Anjuna. “Como líder, a Parfin deu um passo além para garantir os mais altos níveis de proteção para os ativos do cliente – sejam carteiras digitais, informações pessoais ou dados de transações”, complementa.

Clientes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Clientes