A plataforma de brand journalism da Ovo Comunicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

RIP Fernandinho

Jojo Wachsmann homenageia o amigo Fernandinho e traz o panorama de preocupação crescente com inflação no mundo e no Brasil

Motivado por uma festa de 50 anos de uma prima que há muito não via, Silvia e eu aproveitamos o fim de semana prolongado para ir ao Rio de Janeiro. Com toda a questão da pandemia, fazia tempo que não visitava a cidade onde nasci.

Demos sorte, três dias seguidos de sol, praia, mate e biscoito Globo. Quando postei a foto do mate e do biscoito, um primo meu, que hoje mora na Austrália, escreveu “isso resume boa parte da minha saudade”.

Mas nem tudo foram boas notícias nesse feriado. Perdi um amigo querido. Hadba para muitos, Fernandinho para mim.

Nos conhecemos quando trabalhamos juntos na Asset do Unibanco, UAM, no fim do século passado. Ele, alguns anos mais velho do que eu, saindo do MBA em Wharton, e eu, iniciando minha trajetória como gestor. Atravessamos a crise da Ásia juntos, e isso de certa forma forjou nossa relação e respeito mútuo.

Contei um pouco sobre essa e outras crises no Diário de Bordo de março do ano passado.

Fernandinho era um cara ímpar. Atípico. Inteligente, disciplinado na sua bagunça, metódico, estudava tudo com profundidade, sabia de tudo. E, acima de tudo, absolutamente ético e transparente.

Escolhi a palavra “atípico” influenciado pela minissérie que estamos assistindo em casa, na Netflix. Atypical conta a história do personagem Sam Gardner (interpretado pelo ator Keir Gilchrist), um jovem com autismo. Sam segue e respeita as regras e fala o que pensa. Fernandinho, normalmente trajando uma elegante gravata borboleta, não foi diagnosticado no espectro do autismo, mas também seguia regras e não tinha papas na língua para expor suas ideias, especialmente quando discordava do comportamento dos outros.

Isso provavelmente explica o fato de ter trabalhado em muitos lugares durante sua carreira. Talvez o mundo dos negócios ainda não esteja pronto para alguém como ele.

Fernandinho esteve nos meus casamentos, no Bat Mitzvá e Bar Mitzvá dos meus filhos. Jogamos bola juntos no clube armênio, com direito a várias resenhas sobre futebol. Botafoguense roxo, ele era também uma daquelas enciclopédias do esporte, entre tantas outras áreas de conhecimento. Sua página no LinkedIn era sempre fonte de muita informação sobre mercado e sobre a vida.

Quando contei sobre sua partida, minha filha lembrou dos aniversários das filhas do Fernando com a Lika. Elas nunca pediam presentes e sim doações para os mais necessitados. Acho que isso por si só já diz muito sobre ele.

E como o mundo é pequeno mesmo, a Lika, esposa dele, é a mesma Lika Takahashi que o Felipe Miranda citou na abertura da Semana do Investidor 3.0. Ela, quando estava à frente da Fator Corretora, foi a primeira a reconhecer o valor do trabalho que a Empiricus começava a entregar.

Encerro esta lembrança do Fernandinho, dividindo com a Lika, suas meninas Lila e Leila, e com todos os amigos que sentirão sua falta, um texto que o falecido Rabino Henry I. Sobel escreveu para ser lido em seu sepultamento.

Imagine que você está à beira-mar e vê um navio partindo.

Você fica olhando, enquanto ele vai-se afastando, cada vez mais longe, até que finalmente aparece apenas um ponto no horizonte.

Lá, o mar e o céu se encontram.

E você diz: “Pronto, ele se foi”.

Foi aonde?

Foi a um lugar que a sua visão não alcança, só isso.

Ele continua tão grande, tão bonito e tão imponente como era quando estava perto de você.

A dimensão diminuída está em você, não nele.

E naquele momento em que você está dizendo: “Ele se foi”, há outros olhos vendo-o aproximar-se e outras vozes exclamando com alegria: “Ele está chegando”.

RIP Fernandinho, sentirei sua falta, meu amigo.

Bom, voltando ao nosso mercado de todo dia, seguimos na mesma situação que venho trazendo nas últimas semanas.

Preocupação crescente com inflação no mundo e no Brasil.

Novembro, que parecia ser um mês mais calmo, de recuperação nas Bolsas, começa a mudar de cores nos últimos dias. O Ibovespa, até o fechamento de ontem, já tinha devolvido os ganhos e acumulava uma queda de -0,53% no mês. Enquanto as Small Caps ainda seguravam um ganho acumulado de +2,40%.

Agora, se dermos um passo para trás e olharmos com mais cuidado o cenário, parece que a Bolsa brasileira, agora já perto dos 100 mil pontos de novo, está de fato ficando muito barata. Na matéria do Felipe, que saiu na Exame, ele diz que há 12 anos já, o Ibovespa está perdendo para CDI, inflação e até poupança. Mesmo assim, está na hora de ajustar a posição e seguir em frente. A matéria está muito boa e vale a pena você conferir. Clica aqui.

Na quinta passada, em um evento para os clientes da Vitreo Wealth, o Mansueto Almeida, economista-chefe do BTG, nos brindou com uma comparação objetiva sobre o Brasil de agora com a situação de 2015-2016.

Sem entrar em muitos detalhes, posso garantir que os que estavam ali saíram mais aliviados e otimistas. Dados fiscais melhores, crescimento e investimento também, fora o que podemos esperar pela frente, fruto dos programas de concessão que já estão em andamento.

Claro, o plano político precisa encontrar seu equilíbrio também. Mas quem sabe isso não começa a se desenrolar já nesse fim de semana com a definição do pré-candidato à presidência pelo PSDB. Dória ou Eduardo Leite? Aguarde cenas dos próximos capítulos.

Falei sobre isso tudo também com o Bruno Merola e a Lais Costa na live da última terça-feira, quando cobrimos as famílias do FoF SuperPrevidência e FoF Melhores Fundos. O Mérola segue declarando sua preferência pela diversificação que o FoF Melhores Fundos Blend oferece. O fundo sobe 8,68% nos últimos 12 meses (até 16/11), o equivalente a CDI + 5,14%. Se você perdeu, assista agora no YouTube.

No episódio #44 do RadioCash, o convidado da vez foi um dos partners do SoftBank: Alex Szapiro. Ele tem um currículo impressionante, tendo passado por algumas das maiores empresas do mundo, como Amazon e Apple, nossas principais posições do Tech Select, que sobe 34,77% no ano até 16/11, aproveitando o ritmo das Bolsas americanas.

No episódio, eu contei que, anos atrás, após assistir uma palestra dele para alunos no colégio dos nossos filhos, eu comprei a primeira versão da Alexa da Amazon. Confira o papo todo.

O ano está terminando e quero te fazer um lembrete antes que seja tarde! Para que você tenha acesso aos benefícios tributários de um plano de previdência, você precisa realizar um investimento ainda neste ano. O governo realmente não dá muito foco a essa situação, mas tem um dinheiro que é do seu direito.

Para você saber qual atitude tomar, eu preparei uma série para te ajudar a saber como você pode receber uma restituição de imposto de renda provavelmente muito melhor do que a que você recebe hoje. Se você quer se inscrever, é só clicar aqui.

Aliás, falando em prazo final, hoje é o último dia pra você solicitar transferência dos seus ativos por meio da STVM e ganhar de R$ 500 até um iPhone 13 Pro. Você precisa ser ágil porque falta pouquíssimo tempo pra você conseguir garantir algum prêmio. Confira todos os detalhes clicando aqui.

E, como você sabe, novembro é mês de BlackFriday. Não vou adiantar muito o que vai acontecer, mas dando um spoiler: você pode contar com as vantagens mais inéditas do mercado para nossa blackweek. Se você viu as ofertas de renda fixa nas últimas semanas, sabe do que estou falando. Com o momento difícil para o mercado de ações, estamos oferecendo ofertas como você nunca viu, como a de hoje que foi um CDB com IPCA + 6,50%. aa. Todo dia tem produtos ótimos.

Na blackweek não será diferente. Proporcionaremos para você tudo de acordo com o que fazemos de melhor, sempre focando no cliente. Serão condições imperdíveis. Sugiro que você aguarde os próximos dias e fique de olho nas oportunidades de renda fixa, previdência…

Vem coisa boa por aí!

Leia o Diário de Bordo na íntegra:  clique aqui. 

Clientes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Clientes