Sabe como funciona o Venture Capital? Conheça quatro empresas que investem em startups

O investimento de Venture Capital (capital de risco) é voltado para empresas jovens de até médio porte com elevado potencial de crescimento. Não à toa, as startups são as preferidas dos VCs. São feitas rodadas de investimentos (chamadas pre-seed, seed, series A, B, etc) de acordo com a maturidade da empresa. Os valores dos cheques são os mais variados e crescem de acordo com o porte atingido pela startup: em geral, começam em R$ 250 mil e podem superar a casa do R$ 1 bilhão.

A intenção do VC é fazer o negócio crescer com a injeção de capital. Os dividendos obtidos com o negócio tornam-se a remuneração dos investidores. O risco tão elevado quanto o potencial de retorno.

Reunimos uma lista com quatro empresas que atuam com sucesso no mercado de Venture Capital e que são reconhecidos pelos bons investimentos que fizeram ao longo das suas jornadas. Veja mais abaixo:

1 – Iporanga Ventures

A Iporanga é uma das pioneiras em investimento pré-seed e seed no Brasil. A empresa estreou no Venture Capital em 2011, com um investimento na empresa Quero Educação. Em 2013, investiu na Loggi, quando a empresa ainda nem havia saído do Powe Point e que tornou-se unicórnio em 2019. Atualmente a Iporanga faz a gestão de mais de R$ 500 milhões aportados em empresas de tecnologia.

Sócios: Leonardo Teixeira, Renato Valente, Guilherme Assis e Leo Kalim.

2 – Fuse Capital

Trabalhar com fundos de capital híbrido, agregar valor às startups investidas e encarar o investidor como um parceiro, seja ele um family office ou uma corporação. Esses são os pilares da Fuse Capital, gestora de venture capital, fundada em dezembro de 2019, no Rio de Janeiro, por veteranos do mercado financeiro e empreendedores cariocas.

Sócios: Alexis Terrin, Guilherme Hug, João Zecchin e Dan Yamamura.

3 – Astella Investimentos

A Astella Investimentos, fundada em 2008, destina o capital de seus investidores para aportes em startups de estágio seed e série A. Entre as suas escolhas, os destaques são a Resultados Digitais (agora RD Station) – que recentemente foi vendida à Totvs por R$ 1,86 bilhão, a Omie, Grão e Sallve.

Sócios: Edson Rigonatti, Laura Constantini, Marcelo Sato e Daniel Chalfon.

4 – Synthase Ventures

Investir em negócios que buscam não apenas o retorno financeiro, mas soluções inovadoras e escaláveis para os diversos desafios que enfrentamos enquanto sociedade. São estes os pilares da Synthase Impact Ventures, holding de investimentos de impacto, que busca apoiar startups nascidas para resolver ou minimizar problemas sociais e ambientais. Fundada em 2019 por Claudio Neszlinger, Daniel Prianti e Rodrigo Hlavnicka, a Synthase tem como um de seus principais diferenciais a participação ativa do corpo de investidores na mentoria às investidas.

Sócios: Rodrigo Hlavnicka, Claudio Neszlinger​ e Daniel Prianti​.

Deixe uma resposta