A plataforma de brand journalism da Ovo Comunicação

Contrate-nos

As 5 tendências para dados que impactarão 2022

A Tableau fez uma pesquisa com seus líderes, especialistas e clientes para elaborar o relatório Data Trends 2022, que traz tendências e recomendações para empresas e organizações

Os últimos dois anos mostraram que a capacidade de transformar rapidamente os negócios é fundamental para que eles sobrevivam. Quando a pandemia se instalou, muitas organizações tiveram que ajustar estratégias, adaptando-se a um novo mundo — o que ocorreu principalmente no ambiente digital. A maneira como as coisas são feitas mudou para sempre e, mesmo depois que a pandemia passar, não haverá volta aos negócios como eram antes. Mudanças de comunicação, conexão e trabalho forçaram todas as pessoas e organizações a se tornarem ainda mais digitais e orientadas por dados.

“Quando muitas organizações fizeram a transição das operações para o online, houve um grande fluxo de informações” disse o presidente e CEO da Tableau, Mark Nelson. “Cada interação digital gera valiosos dados que podem fornecer insights e informar tomadas de decisão melhores e mais rápidas neste mundo prioritariamente digital.”

Para navegar no caos dos dados e compreender um cenário em rápida mudança, foram reunidos insights de especialistas, clientes e líderes da Tableau. O objetivo foi saber quais forças emergentes continuam a evoluir a maneira como trabalhamos, o papel que os dados e as análises desempenham e o que isso significa para o futuro de clientes e parceiros e da Comunidade da Tableau.

“Identificamos cinco tendências de dados que afetarão os negócios este ano com relação à inteligência artificial (IA) e o desenvolvimento da força de trabalho, da governança flexível e da ética de dados como uma estrutura”, resume Mark Nelson. O relatório 2022 Data Trends traz informações completas e detalhadas das cinco tendências de dados para este ano.

Inteligência Artificial

“A IA aumenta e capacita a experiência humana. As soluções de IA terão maior sucesso reduzindo o atrito e ajudando a resolver problemas definidos de negócios”, diz Vidya Setlur, Diretora da Tableau Research. 

A IA e as tecnologias orientadas por IA têm sido o centro das atenções nos últimos anos, mas este ano veremos a sua adoção e o surgimento de novas aplicações. Esses avanços estão tirando cada vez mais tarefas repetitivas da mesa das pessoas — e isso permite que elas aprendam e assumam as tarefas mais sofisticadas e criativas.

Embora os líderes acreditem que a IA seja fundamental para o futuro de seus negócios, ainda enfrentam muitas barreiras para promover seu uso em suas organizações, como dimensionar tecnologias de IA e qualificar sua força de trabalho para focar em tarefas avançadas.

Ética

“Formalizar dados éticos e o uso de IA torna-se imperativo para as organizações. As organizações responsáveis ​​criarão proativamente políticas de uso ético, painéis de revisão e muito mais para melhorar as experiências e os resultados dos negócios”, diz Mark Nelson, presidente e CEO da Tableau. 

Chegou a hora de priorizar a ética na estratégia com os dados. As organizações responsáveis ​​alinharão proativamente os dados e os esforços de IA com os valores humanos. Isso se torna um requisito para o uso ético de dados e a mitigação de riscos. A história mostra que as políticas de uso inteligente e ético de dados — e de não causar danos — levam a uma maior inovação.

Devido à rápida aceleração da adoção da IA e da confluência de questões globais, não existe mais uma abordagem única para uso ético de dados e IA. As organizações têm a oportunidade de definir proativamente como desenvolvem e usam dados e IA de forma responsável neste mundo digital em rápida evolução.

Agora, mais do que nunca, a confiança e a transparência precisam impulsionar a inovação, o crescimento e o relacionamento com os clientes, reduzindo o potencial da tecnologia de prejudicar as pessoas. Exemplos de potenciais danosos no uso de dados são o reconhecimento facial tendencioso e tendências de discriminação.

Liderando com ética e integridade, veremos mais comprometimento e responsabilidade no uso de dados em empresas e instituições públicas. Além disso, aprender recomendações sobre como criar um sistema com pontos de contato humanos intencionais, e porque escrever políticas de dados éticos e de IA na governança de sua organização são estratégias de redução de riscos e danos prejudiciais.

Desenvolvimento da força de trabalho

“Organizações competitivas reconhecem que preparar a força de trabalho para o futuro é mais do que apenas habilidades com dados e treinamento de ferramentas. Para ter sucesso no futuro do trabalho, as organizações expandem sua definição de alfabetização em dados, investem em seu pessoal e dobram a cultura de dados”, diz Wendy Turner-Williams, Diretora de Dados da Tableau. 

Ainda há uma demanda global por habilidades com dados. Isso não deixa nenhuma pessoa, empresa ou país para trás quando se trata de entender e trabalhar com dados. As habilidades com dados serão necessárias para todas as funções, em todos os setores da força de trabalho. Para atender à crescente demanda, a alfabetização em dados se tornará um currículo obrigatório para salas de aula e empresas. As pessoas precisarão, no mínimo, de fluência básica em dados e habilidades analíticas.

Existem barreiras para alcançar uma força de trabalho competente em dados, principalmente as lacunas entre a disponibilidade de programas de alfabetização em dados — tanto iniciativas acadêmicas quanto internas — e as pessoas que precisam deles.

Governança flexível

“As organizações adotam abordagens de governança de dados mais inclusivas para se manterem competitivas e em conformidade. O crescente reconhecimento do valor estratégico dos dados impulsiona técnicas federadas e flexíveis de governança de dados que capacitam todos em toda a organização”, diz Kate Wright, Vice-Presidente Sênior de Desenvolvimento de Produtos da Tableau 

O impulso para a transformação digital resultou em uma explosão de dados — ou caos de dados. As organizações precisam ter um plano de governança forte em vigor se quiserem usar com sucesso esses dados valiosos como um ativo estratégico que pode ajudar nos negócios. Os primeiros usuários que implantarem e adotarem técnicas flexíveis de governança de dados também aproveitarão os benefícios de serem compatíveis e competitivos.

As organizações que adotam novas técnicas de governança de dados estão impulsionando a transformação dos negócios, mas somente se encontrarem o equilíbrio certo entre capacitação e controle. O relatório sobre como sua organização pode trabalhar para compartilhar dados confiáveis ​​em tempo real com análises de autoatendimento para todos.

Isso capacita a todos na organização e permite a inovação, além de oferecer uma vantagem competitiva, mantendo-se à frente dos novos requisitos e práticas de governança e segurança.

Equidade dos Dados

“Os dados se tornam a linguagem para que pessoas e organizações sejam vistas, entendam seus problemas e engajem com instituições destinadas a atendê-los”, diz Neal Myrick, Vice-Presidente de Impacto Social e Diretor Global da Tableau Foundation.  

Os dados são um recurso poderoso para a mudança. Eles podem ampliar e aprofundar o alcance dos esforços de defesa, capacitar defensores e influenciar políticas para soluções sustentáveis ​​e de longo prazo para questões sociais sistêmicas.

No entanto, nem todos se beneficiaram igualmente da chamada revolução dos dados. As organizações comunitárias não estão tradicionalmente capacitadas com tecnologia e recursos de dados para responsabilizar os governos locais. Pouquíssimos dados são representativos dos indivíduos e grupos que pretendem representar.

Como estrutura, a equidade dos dados pode se tornar uma abordagem que garante que os dados sejam mais inclusivos, representativos e eficazes como uma ferramenta de defesa, devido ao senso compartilhado de propriedade que cria com todas as partes interessadas ao redor da mesa. Mas, para ser eficaz, qualquer plano de dados deve ser criado em parceria ou consulta com as comunidades que atende, representa e apoia.

Felizmente, o acesso aos dados se expandiu e mais organizações sem fins lucrativos, indivíduos e organizações comunitárias estão usando os dados como um ativo estratégico, construindo suas próprias culturas de dados e capacitando seus funcionários com habilidades em dados.

Para ir mais fundo e saber mais sobre o pensamento, a pesquisa e as histórias de clientes por trás das tendências, leia o 2022 Data Trends Report completo. Ou inscreva-se em um evento virtual para ouvir especialistas falarem sobre como essas tendências afetarão 2022 e além.