Após adiamento, segunda fase do Open Banking começa nesta sexta-feira

Confira o que o Crania já publicou sobre o assunto e fique por dentro do funcionamento do sistema bancário aberto

10 pontos para entender o Open Banking

Prevista para 15 de julho, a segunda fase do Open Banking foi adiada para 13 de agosto. A partir dessa data, clientes de instituições financeiras poderão autorizar o compartilhamento dos seus dados.

O processo começou em fevereiro, com o levantamento de informações referentes aos bancos – desde horários de funcionamento até a cobrança de taxas. A ideia é organizar e padronizar os dados, de modo a conhecer em profundidade o que é oferecido pelas empresas e a relação com o consumidor.

Preparamos um questionário com 10 tópicos para facilitar a compreensão sobre o tema:  https://crania.com.br/2021/07/12/10-pontos-para-entender-open-banking/

Fintech Olivia lança sua plataforma gratuita de open banking

Um ano após lançar oficialmente a assistente financeira Olivia no Brasil, a empresa de dados financeiros e inteligência artificial Olivia AI, Inc. anuncia sua segunda solução ao mercado: o Bob (Brazil Open Banking), sua plataforma B2B de open banking. Oferecer esse serviço sem custo faz parte da estratégia da Olivia de ajudar a democratizar o open banking no país — a startup é a primeira empresa brasileira a disponibilizar a ferramenta, gratuitamente, ao mercado, permitindo que mais pessoas tenham acesso aos benefícios do open banking. 

Saiba mais: https://crania.com.br/2021/04/06/bob-open-banking/

Fintechs brasileiras receberam US$ 500 milhões em janeiro e fevereiro de 2021

Em apenas dois meses, foram investidos mais de US$ 500 milhões em fintechs brasileiras. Esse valor já representa 25% do total investido no setor em todo o ano passado, um recorde para o período. Os números foram contabilizados pela edição de março do Inside Fintech Report, relatório mensal realizado pelo Distrito Dataminer, braço de inteligência de mercado da empresa de inovação aberta Distrito.

O relatório traz ainda um panorama das fintechs voltadas para meios de pagamento, que têm ganhado grande destaque, com startups de outros setores abrindo frentes de negócio nessa direção, na esteira das oportunidades abertas pelo Pix e pelo Open Banking. Hoje são ao menos 166 fintechs atuando no setor — 16,3% das mais de 1 mil fintechs brasileiras mapeadas pelo Distrito.

Confira: https://crania.com.br/2021/03/19/fintechs-brasileiras-receberam-us-500-milhoes-em-janeiro-e-fevereiro-de-2021/

Entrevista Crania: Leonardo Teixeira e Renato Valente, sócios da Iporanga Ventures

Leonardo: São muitas oportunidades. No ano passado, a saúde digital teve um boom, e a telemedicina finalmente foi permitida, e, na nossa opinião, veio para ficar. Muitas coisas estão sendo construídas em cima desse paradigma. O PIX está aí e temos o open banking sendo implementado, o que abre oportunidades em serviços financeiros para diversos challenger banks. O mercado de investimentos tem passado por uma verdadeira batalha pelo acesso ao cliente, com agentes autônomos sendo disputados pelos bancos. A Susep vem fazendo movimentos para a concorrência e trazendo flexibilidade nos seguros, incentivando também a desconcentração e competição no setor. Cripto e blockchain estão ficando mais mainstream e sendo endossados por investidores de peso, bancos e empresas; e a tokenização de ativos via NFT’s está tendo um momento de expansão.

Veja a entrevista completa: https://crania.com.br/2021/05/28/iporanga-entrevista/

Puro Malte #57: Dê play! Nunca te pedi nada…

A vacinação está rolando e o brasileiro começa a sentir que a pandemia vai ser controlada. Falamos sobre os planos para o pós-covid. Com o cenário mais próximo ao que era, qual será o impacto do nosso ímpeto consumista no lucro das empresas, na valorização das ações e na tomada de decisão do investidor? No quadro Super ou Sub-estimado: urna eletrônica, aquecimento global e Open Banking.

Ouça o episódio do podcast da Empiricus: https://crania.com.br/2021/08/06/puro-malte-57-de-play/

Deixe uma resposta