A plataforma de brand journalism da Ovo Comunicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Vitreo lança fundo agro com investimento a partir de R$ 100

Voltado para todos os perfis de investidor, produto aposta em setor beneficiado pela alta das commodities e pela retomada econômica

Voltado para todos os perfis de investidor, produto aposta em setor beneficiado pela alta das commodities e pela retomada econômica

Com a expectativa de faturar cerca de US$ 1 trilhão neste ano, o agronegócio brasileiro foi responsável por 27% do PIB do país em 2020 e no último mês de março somou US$ 11,57 bilhões em exportações. São números superlativos de um setor há muito conhecido pelo papel-chave na economia do Brasil.

Neste momento – pandemia ainda em curso, mas um horizonte menos nebuloso graças à vacinação –, o setor vem se beneficiando do chamado superciclo das commodities e da retomada econômica mundo afora.

De olho no vigor desse mercado, a Vitreo lança nesta quarta-feira (30) o Vitreo Brasil Agro FIM, primeiro fundo do portfólio da gestora voltado para investimentos no universo do agronegócio.

Com ticket de entrada a partir de R$ 100, o produto é um fundo multimercado com taxa de administração de 0,90% ao ano e taxa de performance de 10% sobre o que exceder o CDI. “É para todo perfil de investidor e um complemento à pauta de diversificação dos investimentos”, diz Jojo Wachsmann, chefe de gestão da empresa.

Os clientes da Vitreo têm hoje acesso a uma série de fundos temáticos, que apostam no potencial de segmentos diversos, no Brasil e no exterior, como os de crédito de carbono, prata, urânio, ouro e cannabis.

“Agora nossa aposta envolve um vetor da economia, o qual deve trazer ganhos reais nos próximos anos, principalmente se analisados o contexto econômico atual e a expectativa para o pós-pandemia”, afirma Jojo.

A novidade representa uma oportunidade para o investidor que quer se beneficiar de ativos atrelados ao boom econômico dos países desenvolvidos, que vivem uma alta no consumo e estão importando insumos em patamares acima dos registrados no período pré-crise.

Clientes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Clientes