Fintech de crédito Open Co anuncia captação de FIDC de R$ 1,5 bilhão

Raphael Zagury, sócio fundador e CFO da Open Co.
Raphael Zagury, sócio fundador e CFO da Open Co.

Open Co, fintech de crédito criada neste ano a partir da fusão de Geru e Rebel, anuncia uma captação de R$ 1,5 bilhão por meio do lançamento de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC).

Desse total, até aproximadamente R$ 1 bilhão (cota sênior) vem do banco americano Goldman Sachs, que também participou de uma rodada de equity na companhia no último mês —os outros R$ 500 milhões vêm dos investidores locais, além de recursos próprios.

O capital será utilizado para possibilitar que a Open Co forneça crédito a taxas justas para ainda mais pessoas —propósito compartilhado por Geru e Rebel desde suas fundações, em 2015 e 2016, respectivamente.

A flexibilidade desse FIDC irá permitir que pessoas que antes não seriam elegíveis para receber crédito nas duas marcas da empresa agora consigam ter acesso aos produtos, a taxas ainda melhores.

“Fechamos a primeira etapa da nossa história: em um curto espaço de tempo fizemos a fusão da Rebel e Geru criando a Open Co, uma rodada de investimento de R$ 150 milhões e agora o FIDC. Com isso, criamos uma fundação sólida para executar o nosso propósito e iniciamos um novo ciclo, entrando numa direção de crescimento muito grande”, diz Raphael Zagury, sócio fundador e CFO da Open Co.

Os recursos da rodada de equity anunciada em março, liderada pela Goldman Sachs e pelo IFC, membro do Grupo do Banco Mundial, serão utilizados para contratar mais talentos, crescer a base de clientes e desenvolver novos produtos.

Já o FIDC será a fonte de financiamento dos empréstimos futuros. Antes da fusão, Geru e Rebel haviam feito em crédito, juntas, R$ 1,5 bilhão e a previsão para este ano é que a Open Co conceda mais R$ 1 bilhão em crédito.

A companhia já tem no seu currículo 11 operações de securitização feitas no Brasil através de sua própria companhia securitizadora, debêntures e de um FIDC. Os principais investidores destas operações também serão cotistas do novo fundo.

“Estamos muito felizes em ampliar nosso relacionamento com a Goldman, que traz sua expertise global em securitização. Iremos combinar toda essa experiência com o nosso track record, as melhores práticas e alguns dos mais competentes investidores de crédito do Brasil”, completa Zagury

Deixe uma resposta