A plataforma de brand journalism da Ovo Comunicação

Contrate-nos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Fintech de crédito Open Co anuncia captação de FIDC de R$ 1,5 bilhão

Raphael Zagury, sócio fundador e CFO da Open Co.
Raphael Zagury, sócio fundador e CFO da Open Co.

Open Co, fintech de crédito criada neste ano a partir da fusão de Geru e Rebel, anuncia uma captação de R$ 1,5 bilhão por meio do lançamento de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC).

Desse total, até aproximadamente R$ 1 bilhão (cota sênior) vem do banco americano Goldman Sachs, que também participou de uma rodada de equity na companhia no último mês —os outros R$ 500 milhões vêm dos investidores locais, além de recursos próprios.

O capital será utilizado para possibilitar que a Open Co forneça crédito a taxas justas para ainda mais pessoas —propósito compartilhado por Geru e Rebel desde suas fundações, em 2015 e 2016, respectivamente.

A flexibilidade desse FIDC irá permitir que pessoas que antes não seriam elegíveis para receber crédito nas duas marcas da empresa agora consigam ter acesso aos produtos, a taxas ainda melhores.

“Fechamos a primeira etapa da nossa história: em um curto espaço de tempo fizemos a fusão da Rebel e Geru criando a Open Co, uma rodada de investimento de R$ 150 milhões e agora o FIDC. Com isso, criamos uma fundação sólida para executar o nosso propósito e iniciamos um novo ciclo, entrando numa direção de crescimento muito grande”, diz Raphael Zagury, sócio fundador e CFO da Open Co.

Os recursos da rodada de equity anunciada em março, liderada pela Goldman Sachs e pelo IFC, membro do Grupo do Banco Mundial, serão utilizados para contratar mais talentos, crescer a base de clientes e desenvolver novos produtos.

Já o FIDC será a fonte de financiamento dos empréstimos futuros. Antes da fusão, Geru e Rebel haviam feito em crédito, juntas, R$ 1,5 bilhão e a previsão para este ano é que a Open Co conceda mais R$ 1 bilhão em crédito.

A companhia já tem no seu currículo 11 operações de securitização feitas no Brasil através de sua própria companhia securitizadora, debêntures e de um FIDC. Os principais investidores destas operações também serão cotistas do novo fundo.

“Estamos muito felizes em ampliar nosso relacionamento com a Goldman, que traz sua expertise global em securitização. Iremos combinar toda essa experiência com o nosso track record, as melhores práticas e alguns dos mais competentes investidores de crédito do Brasil”, completa Zagury

Clientes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Clientes