A plataforma de brand journalism da Ovo Comunicação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Hora de revirar o porão: games antigos se tornam grandes investimentos

Jogos lacrados agora constituem mercado milionário. Neste mês, fita de Mario Bros. foi arrematada em leilão pelo equivalente a R$ 8 milhões

Jogos lacrados agora constituem mercado milionário. Neste mês, fita de Mario Bros. foi arrematada em leilão pelo equivalente a R$ 8 milhões

A maioria dos humanos conhece o Mario, célebre personagem dos jogos da Nintendo. O bigodudo é uma estrela da cultura pop. Além da presença nos games, está em filmes, séries, roupas, utensílios domésticos etc. Parte da infância e adolescência – e não só delas – de várias gerações, o encanador italiano criado por japoneses bateu mais um recorde. 

No início do mês, em 9 de julho, um cartucho lacrado de “Super Mario 64” foi leiloado por US$ 1,56 milhão. O valor, pago por um comprador anônimo, equivale a mais de R$ 8 milhões. Com a batida do martelo, o jogo de videogame passou a ostentar o título de “o mais valioso da história”. 

Jamais assoprada – entendedores, entenderão –, a fita recebeu 9.8 pontos na escala Wata, um sistema de avaliação sobre a originalidade e a qualidade de games da categoria vintage. De acordo com estimativas da Heritage Auctions, tradicional casa norte-americana de leilões e responsável pela venda, a cópia é uma entre as menos de cinco no mundo completamente lacradas. 

games Super Mario 64
Jogo Super Mario 64, leiloado nos Estados Unidos por mais de R$ 8 milhões

O leilão não foi um ponto fora da curva. Lances milionários em jogos antigos, e lindamente conservados, têm sido comuns. Uma versão de “The Legend of Zelda” (Nintendo 8 Bits) foi vendida neste mês por US$ 870 mil (aproximadamente R$ 4,5 milhões). A cópia obteve 9.0 pontos na escala Wata.

Somente em 2021, a Heritage Auctions vendeu um total de 49 de games antigos com valores acima de US$ 50 mil (mais de R$ 250 mil). Foram leiloados jogos de diferentes franquias, como Final Fantasy, Tomb Raider e Pokemon.  

Com os NFTs em alta, a ideia de que alguém desembolse uma bolada em um game que nunca será utilizado talvez nem soe excêntrica. Sim, é esse o barato dos compradores: comprar para nunca usar. Adquire-se a raridade para, digamos, contemplá-la ou fazer dinheiro (algo com que os mercados de vinhos, obras de arte e moedas antigas, por exemplo, já estão acostumados). No primeiro caso, o arremate é coisa de fã. No segundo, de um investidor, seja fã ou não.  

Não me arrependo de, quando pequeno, ter usado até o limite minhas fitas de Nintendo. Hoje, o único valor que possuem é sentimental. Mas fica o questionamento… Será que, daqui a algumas décadas, jogos modernos, como os de PS4 ou PS5, vão valer uma pequena fortuna? Ter uma cópia lacrada na gaveta pode, no futuro, se revelar uma grata surpresa. Vai saber…  

Clientes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Clientes