Três golaços da Hashdex

Num período de apenas 93 dias, gestora especializada em criptoativos protagoniza grandes feitos. De novidade na bolsa a aporte multi-milionário (R$ 135 mi, em anúncio feito hoje), eles refletem o potencial do setor no Brasil e no mundo  

Hashdex estreia ETF na B3 — Foto: Cauê Diniz

Em 9 de fevereiro,

a Hashdex fez história ao listar, na bolsa de Bermudas, o primeiro ETF (fundo de índice) de criptomoedas do mundo. A novidade, batizada de Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF, foi fruto de parceria com a Nasdaq. À época, o CEO da empresa, Marcelo Sampaio, disse que o novo produto “mostra a maturidade do mercado de criptomoedas”.  

Em 26 de abril

o gol foi em território nacional. Após ter captado R$ 615 milhões em reservas, o primeiro ETF de criptos do Brasil (HASH11, para os íntimos) estreava na B3, a bolsa brasileira. Para felicidade da nação Hashdex, fechou aquele dia em alta de 12,93% e cotado a R$ 53,10.  

Hoje, 12 de maio, 

a gestora recebeu um aporte de recursos da ordem de R$ 135 milhões, em rodada liderada pelo Valor Capital Group e que contou com a participação da Fuse, entre outras companhias. O valor será usado na manutenção da Hashdex como líder do segmento no país e para expandir sua presença internacional. Nesse processo, a expectativa é a de triplicar o número de funcionários, com atuação tanto no Brasil quanto no exterior.  

Deixe uma resposta