Avenue abre 50 vagas em áreas como tecnologia e relacionamento

Na mão inversa da crise econômica, corretora americana expande operação no Brasil e deve terminar o ano com o dobro de funcionários  

Roberto Lee, CEO Avenue.
Roberto Lee, CEO da Avenue Securities

Enquanto diversas empresas passam por um processo de redução de seus quadros por força da pandemia e da consequente crise econômica, a Avenue Securities está contratando.  

Sediada em Miami e elo entre o investidor brasileiro e o mercado de ações dos Estados Unidos, a corretora americana anunciou a abertura de 50 vagas no Brasil. A iniciativa tem o objetivo de reforçar as equipes comercial, de tecnologia e de relacionamento.  

A demanda por capital humano reflete o crescimento da companhia no país e não é novidade: no ano passado, o ritmo de contratações foi tão intenso quanto. Ao todo, mais de cem postos devem ser abertos em 2021, o que faria dobrar o número de funcionários por aqui.    

“Estamos fomentando todas as áreas e buscando desde gente sem ou com pouca experiência no mercado financeiro a talentos com ampla vivência nele, para ocuparem posições estratégicas”, diz Victória Vitrio, head de pessoas da Avenue.  

Hoje, os empregados estão todos em home office. Quando a pandemia terminar ou perder a força, parte deles continuará atuando remotamente, e os demais seguirão uma escala híbrida, com atividades presenciais e não presenciais. “Nosso time de tecnologia já ficava fora do escritório antes do coronavírus. Nessa área, vamos manter o esquema.” 

Independentemente do lugar de trabalho, o foco é e continuará sendo o cliente brasileiro, que está cada vez mais de olho no mercado internacional de investimentos. Fundador e CEO da Avenue, Roberto Lee avalia que este começa a ganhar projeção no Brasil.  

Feita por brasileiros, para brasileiros, a corretora tem no momento US$ 700 milhões sob custódia e mais de 240 mil contas, números resultantes do fluxo de investidores em busca de diversificação na carteira e de interessados na proteção de uma moeda forte, como o dólar. 

“Com a mudança na forma de o brasileiro investir, provocada pela queda na taxa de juros, e com a necessidade de buscar ativos mais seguros, impulsionada pela pandemia, vai se destacar o profissional que for acompanhando de perto essa transição”, afirma o executivo.  

Onde se inscrever 

https://jobs.kenoby.com/avenue

Deixe uma resposta