Alô, viajante: é hora de comprar dólar?

notas de dólar, a moeda americana.

O mar não está para peixe, tampouco o ar para avião. O prolongamento da pandemia de covid-19 no Brasil tem impactado fortemente o tráfego aéreo. Em fevereiro de 2021, o setor registrou uma queda de mais de 89% na demanda por voos internacionais em relação ao mesmo período de 2020, de acordo com a Anac.

Com dezenas de países com suas fronteiras fechadas para passageiros cuja origem é o Brasil, viajar para o exterior é algo que tem ficado restrito aos planos. O consumidor, no entanto, pode aproveitar a baixa para se organizar financeiramente e fugir da possibilidade de um câmbio muito alto às vésperas de uma viagem. 

A equipe do Crania conversou com Fabrizio Velloni, economista-chefe da Frente Corretora, para entender como o consumidor pode se valer deste momento para economizar. Abaixo, algumas dicas do especialista. 

Compras fracionadas

Se em condições normais a maioria das viagens internacionais de férias são planejadas, para o brasileiro de 2021, esta é praticamente sua única possibilidade. Com planos mais longínquos, o viajante pode aproveitar os meses pela frente para realizar compras fracionadas de dólar, em pequenas quantidades a cada período, até chegada a tão esperada hora de partir. 

“Mesmo com uma tendência de baixa no médio prazo, o consumidor pode aproveitar a volatilidade do dólar e comprá-lo pouco a pouco, principalmente em dias de queda acentuada”, comenta Velloni. “Assim ele dilui a variação do câmbio no tempo, ao mesmo tempo em que encaixa estas saídas em seu fluxo de caixa”, completa. 

Buscar o parcelamento de serviços

Ter uma agência intermediária pode facilitar a contratação de serviços no exterior como hospedagem, locação de veículos e tickets para parques e atrações. “Com a previsão destes custos para o futuro, o viajante pode optar por sua contratação de imediato e pagá-las de forma parcelada, em moeda nacional mesmo. Se ele conseguir já viajar com estas despesas pagas, evita um susto após a viagem”, comenta. 

Aproveitar a flexibilidade das companhias aéreas

Com uma demanda em queda em função das fronteiras fechadas, muitas companhias aéreas estão com tarifas mais baixas que a média e, de tempos em tempos, realizam promoções ainda mais vantajosas.

“Para além dos descontos, é importante frisar que, por conta da pandemia, muitas das empresas aéreas estão com maior flexibilidade para a remarcação ou até mesmo cancelamento de voos, o que dá ao passageiro maior segurança caso a data da viagem chegue e a situação da pandemia ainda não esteja controlada. Vale aproveitar a oportunidade!”

Confira outras notícias sobre dólar: clique aqui.

Deixe uma resposta